Notícias

Centro de Treinamento Cadaver Lab Suprema, HLA e Instituto Crispi avança na formação de cirurgiões



O Centro de Treinamento Cadaver Lab da Suprema representa um avanço na qualidade da formação acadêmica e de cirurgiões médicos e dentistas. Implantado em parceria com o Instituto Crispi e o Instituto Health Learning Academy (HLA), o centro é considerado o mais moderno da América Latina com treinamento em cadáver fresco. O equipamento significa também um salto de qualidade na capacitação de cirurgias mais complexas, refletindo em mais segurança e melhor resultado para o paciente. O Cadaver Lab integra o Complexo de Cirurgias Minimamente Invasivas e permite uma evolução progressiva do treinamento profissional.


O Cadaver Lab foi inaugurado em outubro de 2019 e já sediou vários cursos de capacitação e formação profissional. Ao utilizar cadáver fresco nos treinamentos, o aluno ou o novo cirurgião realiza os procedimentos cirúrgicos em condições bem próximas das reais, proporcionando muito mais precisão. Embora já exista o estudo anatômico em cadáveres com formol, há uma perda da qualidade e aparência dos tecidos e órgãos. Já as peças anatômicas frescas, quando descongeladas, conservam características do tecido humano. Os médicos adquirem habilidade antes de ter contato com o paciente, além de ser uma oportunidade de troca de experiências dos mais experts da área e apresentação dos resultados de todos os trabalhos que estão sendo publicados.


Aumento do padrão científico pedagógico no aprendizado anatômico


O Cadaver Lab surgiu como a solução para aumentar o padrão científico pedagógico do aprendizado anatômico. Quando se manuseia um cadáver em excelente conservação, a experiência nos procedimentos clínico-cirúrgicos obtém mais qualidade. O Complexo permite uma evolução progressiva do treinamento do profissional, passando por simuladores, AnimalLab até o Cadaver Lab. Estas etapas fazem com que o médico cirurgião ou o cirurgião dentista tenha uma formação muito mais qualificada e mais próxima da realidade.


O treinamento em Centro de Cadaver Lab é a maneira mais eficaz de se obter sucesso no manuseio de cirurgias. Por isso, o Instituto Crispi faz uso dos espécimes frescos em praticamente todos os cursos. São mais de 10 cursos que utilizam as peças, devidamente regularizadas pela ANVISA, prontas para o uso em várias especialidades. Todos os alunos treinam juntos e em pequenos grupos.


Os procedimentos são supervisionados por tutores especialistas das áreas. O Cadaver Lab JF, além de contar com infraestrutura e equipamentos prontos para atender a demanda de ensino de alta qualidade, utiliza ferramentas educacionais como DRYLABS, WETLABS, pesquisa científi ca em Cirurgia Plástica, Cardiologia, Cirurgia Geral, Coloproctologia, Odontologia, Ginecologia, Gastroenterologia, Neurologia, Oftalmologia, Ortopedia entre outras.



Doutor Newton Ferreira de Oliveira

Diretor Administrativo/Planejamento Suprema

O Centro de Treinamento Cadaver Lab é um Centro Referência para América Latina e de extrema importância para a formação de especialistas de todas as áreas cirúrgicas e na formação acadêmica. O Cadaver Lab JF é um projeto inovador, ousado e um dos mais modernos do Brasil. Podemos dizer que no treinamento em laboratório, o cirurgião, médico ou dentista, está muito próximo das condições que ele vai encontrar durante uma cirurgia no hospital. A Suprema sempre esteve à frente nas inovações, o que é uma marca registrada da faculdade na formação de especialistas de ponta para Juiz de Fora e para o Brasil. No laboratório, o profissional tem condições de treinar cirurgias videolaparoscópicas, cirurgias robóticas, cirurgias plásticas, neurocirurgias, enfim, uma infinidade de procedimentos com total segurança e objetivando benefícios para o paciente. Aqui temos as condições, junto com os nossos parceiros HLA e Instituto Crispi, de formar um profissional completo e plenamente capacitado nas mais modernas tecnologias.



Doutor Cláudio Crispi

Instituto Crispi

A implantação do Laboratório de Cadaver Lab significa um salto de qualidade no treinamento de uma arte extremamente perigosa de ser exercida que é a cirurgia. Sem este equipamento, o treinamento de um cirurgião acaba por ser feito no ser humano. Com o Centro, o aluno ou o novo cirurgião não terá que iniciar seu aprendizado no paciente. O profissional vai passar por laboratórios que permitem uma evolução progressiva. Ou seja, o profissional passa por um laboratório seco de simuladores, um laboratório de animais e, agora, um laboratório de cadáver congelado. Com esta nova tecnologia, o profissional faz treinamentos cirúrgicos muito semelhantes aos que são feitos em pacientes. Temos a capacidade de realizar treinamentos para cirurgias de tireoide, mastectomia, reconstrução de mama, cirurgia plástica, cirurgias do intestino, do sistema urinário e ortopedia, entre tantas outras. E um avanço extremamente signifi cante na formação dos cirurgiões.



Doutor Ricardo Campello

Diretor Administrativo/Infraestrutura Suprema

A Suprema entende que o curso de Medicina não termina no sexto ano. O médico, ao terminar a graduação, faz a escolha da especialidade e precisa ter uma educação continuada. O aprendizado médico é uma trajetória longa e contínua. Exige uma dedicação integral exclusiva. Esta continuidade dos estudos vem através das pós-graduações e das especializações. O Centro de Treinamento em Cirurgias Minimamente Invasivas é um sonho realizado e cumpre este papel. A Suprema tem a preocupação em oferecer não só aos nossos alunos, mas também aos alunos de todas as escolas médicas do país e internacionais, esta educação continuada. O avanço conquistado com a cirurgia minimamente invasiva é extraordinário, porque diminui os riscos de infecção, permite uma recuperação bem mais rápida, enfim, traz uma série de benefícios para os pacientes. É um orgulho para nós da Suprema podermos oferecer um equipamento como este capaz de formar profissionais completos. Esta é a missão da Suprema, está no nosso DNA sempre lutar pela melhoria do atendimento médico. Nosso Centro traz o que há de mais moderno em tecnologia e ensino para a formação acadêmica e de cirurgiões.



Luciano Gonzalez

Instituto HLA - Health Learning Academy

Ao conhecer a Suprema não tivemos dúvidas de construir esta parceria, juntamente com o Instituto Crispi, para implantar o Cadaver Lab, hoje o mais importante Centro da América Latina para o treinamento de cirurgias em cadáver fresco, especialmente cirurgias minimamente invasivas. O Instituto HLA (Health Learning Academy) tem o papel de fornecer as ferramentas educacionais para propiciar o melhor aprendizado na prática: hands-on. Entre as ferramentas, estão as peças anatômicas de cadáver fresco, que propiciam ao profissional um aprofundamento dos estudos na prática cirúrgica da forma mais realista e segura possível. O aprendizado na peça anatômica é fundamental para esta capacitação. O médico cirurgião não pode aprender com o erro, ele precisa aprender para não errar.


Curso de Cirurgia de Tireoide inaugura Centro de Treinamento Cadaver Lab


O Curso NETTS: New Technologies in Thyroid Surgery (TOETVA) de Cirurgia de Tireoide foi o primeiro realizado no Centro de Treinamento em Cadaver Lab da Suprema, Instituto Crispi e HLA. O curso reuniu os mais renomados cirurgiões de cabeça e pescoço do Brasil. O treinamento para cirurgia de tireoide e paratireoide em pacientes com doenças benignas ou malignas por acesso videolaparoscópico, sem cicatriz no pescoço e com dissecção em cadáveres, foi o primeiro realizado na América Latina


Entre os professores convidados, o médico Jonathon Russell, considerado o mais experiente cirurgião na área. Russel é diretor de Cirurgia Endoscópica e Robótica de Tireoide e Paratireoide e professor Assistente de Otorrinolaringologia - Cirurgia de Cabeça e Pescoço da Johns Hopkins University, nos Estados Unidos. Russel destacou na ocasião, a qualidade do Centro de Treinamento e os avanços conquistados pelos cirurgiões de cabeça e pescoço no Brasil. “O centro se compara aos grandes laboratórios norte-americanos, o que facilita a transmissão de conhecimento e o compartilhamento dos avanços em cirurgias de cabeça e pescoço”, afirmou.


Coordenador do curso, Leonardo Rangel, ressaltou ser um dos poucos espaços no mundo a estar completamente preparado para receber treinamentos desta natureza. Segundo ele, no Brasil já são cerca de 300 casos desta técnica cirúrgica, o que justifica o curso para a sua difusão. “Esta técnica associa uma qualidade cosmética a um procedimento oncologicamente seguro”, explicou, acrescentando que este tipo de cirurgia proporciona aos pacientes procedimentos de excelente qualidade, sem cicatriz.


Um dos alunos, o cirurgião de cabeça e pescoço Uirá Coury, da Paraíba, se disse surpreso pela qualidade da formação e do centro. “Para nós cirurgiões, é uma oportunidade inédita na América Latina de um curso com toda esta credibilidade”, frisou. O NETTS foi realizado em novembro de 2019. Além das aulas com o especialista norte-americano e com a equipe composta

pelos especialistas Leonardo Rangel, Erivelto Volpi, Higino Steck, Antônio Bertelli, Renan Lira, Guilherme Duque e Michelle Azevedo (preceptores), os médicos participam de treinamentos práticos em simuladores e em cadáveres frescos.



6 visualizações

1/2
b2.jpg
b4.jpg

1/3
Suprema_Logotipo_Horizontal_sem_subtítu
logobase3.png