Notícias

Pós- Graduação Suprema rompe fronteiras na especialização de profissionais da saúde de Angola

A Faculdade de Ciência Médicas e da Saúde de Juiz de Fora - Suprema deu início a oito Programas de Pós-Graduação Lato Sensu-Especialização com profissionais da saúde oriundos de Angola. Os médicos, cirurgiões dentistas e uma farmacêutica se especializarão através do modelo já estabelecido pela instituição, seguindo as normas da Comissão Nacional de Residência Médica e de Residência Multiprofissional em Saúde, vinculadas ao Ministério da Educação.


O Programa foi possibilitado pela parceria entre a Clínica Girassol, hospital referência em Angola, HRP Participações e a Suprema. A ideia é que cada um leve ao seu país de origem o conhecimento para contribuir na assistência à saúde e necessidades da população. Os cursos são nas áreas de Microbiologia Clínica, Patologia Clínica, Periodontia e Implantodontia, Endodontia, Medicina Intensiva Neonatal e Pediátrica, Ortopedia, Ecografia Pediátrica e Imunoalergologia Pediátrica.

O gestor técnico da HRP Participações, Antônio Lucinda, explica que o objetivo é preparar o profissional para que ele depois atue de forma efetiva em seu país de origem. “Tudo isso vai permitir que tenham formação de qualidade suficiente para nacionalizar o serviço. Além disso, a intenção é estabelecer uma uniformidade de condutas, para que trabalhem com excelência quando retornarem depois de sua formação“, destaca.

O cenário principal de prática dos profissionais será o Hospital e Maternidade Therezinha de Jesus, instituição de ensino conveniada com a Suprema. Todo o processo de aprendizado contará com as adaptações necessárias para que possam atuar em diferentes contextos. A capacitação também envolverá outras instituições, como Hospital Monte Sinai, Hospital João Penido, Ascomcer e Rede Municipal de Saúde.

Sair do país de origem, mudar de vida é um grande desafio. O Diretor Administrativo e de Planejamento da Suprema e responsável pelo Programa de Pós Graduação, Newton Ferreira de Oliveira enfatiza que a “responsabilidade da faculdade é muito grande. Nossa preocupação é que eles tenham os melhores tutores e cenários. O objetivo é dar a formação que eles almejam e que supra as necessidades finais, para que todos possam contribuir com a saúde da comunidade angolana”.

Capital Humano

Imagine estar a mais de 7.500 quilômetros de onde está agora. Esta é a distância entre Brasil e Angola. Essa distância é percorrida com mais conhecimento, vontade e condições de melhorar não somente atendimento e procedimentos, mas um sistema de saúde como um todo. O médico Irneilde Gerónimo Moisés da Costa é pós-graduando em Ortopedia. Ele confessa a ansiedade em vivenciar essa experiência: “fui surpreendido por uma equipe atenciosa, preparada e disponível. Vou estudar com profissionais com subespecialidades, como cirurgias de mão, ombro e joelho. Tenho certeza, que com esta pós-graduação em Ortopedia sairei daqui bem preparado.”

Edjanne Nunes Tavares Almeida é graduada em Medicina Dentária em Portugal e atua há dez anos na Clínica Girassol. Ela considera como maior dificuldade conciliar família e formação. Por conta disso, trouxe seu filho de 8 anos para o Brasil para acompanha-la nesse processo. “Chego com grande expectativa de aprender muito, especialmente periodontia e implante. Estas áreas são bem deficitárias de profissionais em Angola. Não temos cirurgiões dentistas especializados”, conclui com êxito.

logobase3.png